Cola na gente

Notícias

‘Ju-On: Origins’ é a Nova Série de Terror da Franquia ‘O Grito’

Lançado em 2000, ‘Ju-On: The Curse’ de Takashi Shimizu deu início a uma franquia de sucesso J-horror e ganhou remakes americanos, incluindo o filme ‘O Grito’ no início do ano. E a franquia japonesa original retorna com a série da Netflix ‘Ju-On: Origins’.

“A franquia clássica J-Horror ‘Ju-On’ foi realmente baseada em eventos reais que ocorreram ao longo de quatro décadas – e a verdade é ainda mais aterrorizante. As pessoas assombradas por esta casa podem escapar de sua maldição? E que tipo de incidente sombrio ocorreu nesta casa amaldiçoada no passado?”

‘Ju-On: Origins’ estreia no Netflix a partir de 3 de julho de 2020.

Cinema

Próximo Filme de Ari Aster Pode ser o Mais Longo da sua Carreira

Ari Aster descreveu o seu próximo projeto como uma “comédia de ansiedade” e “uma comédia absurda e maligna”.

Em uma entrevista com o Daily Nexus, Aster brincou novamente que ele está trabalhando em uma “um pesadelo de comédia” e que acabou de concluir um novo rascunho desse roteiro. Fornecendo algumas informações novas, Aster observou que o filme será ainda mais longo que o corte estendido de Midsommar que tem 171 minutos.

“Tudo o que sei é que vai demorar quatro horas”, afirmou Aster.

A entrevista foi gravada em áudio então não se sabe se Ari Aster está brincando ou falando sério, mas tudo indica que seu próximo filme será bem longo. ‘Hereditário’ tem 2 horas e 7 minutos, ‘Midsommar’ com 2 horas e 28 minutos e o corte estendido de ‘Midsommar’ com 2 horas e 51 minutos.

Não duvidamos nada de termos um terceiro filme com mais de 3 horas. O que vocês acham?

Continue Lendo

curiosidades

Manuscrito Voynich – O Livro Mais Raro e Misterioso do Mundo

O Manuscrito Voynich é o livro mais misterioso do mundo com conteúdo incompreensível e que é conhecido como “o livro que ninguém consegue ler”, composto por um alfabeto indecifrável e ilustrado com imagens intrigantes. De acordo com pesquisas realizadas em suas folhas e componentes químicos, pode ter sido escrito por volta de 1420 dC.

Porém ninguém consegue decifrá-lo, intrigando pesquisadores e especialistas em criptografia de todo o mundo por décadas. Possui mais de 200 páginas com desenhos e textos escritos em um idioma ou código enigmático. O manuscrito apresenta muitas figuras, entre elas gravuras de plantas desconhecidos e símbolos nunca vistos. Algumas das teorias sugerem que o livro tenha pertencido a algum alquimista ou uma farmacopeia medieval.


O livro também já foi atribuído a estudiosos famosos como Leonardo da Vinci. No entato, a existência de desenhos astronômicos estranhos levam muitos a acreditar que o Manuscrito Voynich possa ser de origem alienígena.

Sua denominação se deve a Wilfrid Michael Voynich, um americano de ascendência polonesa, mercador de livros, que adquiriu o livro no colégio Jesuíta de Villa Mondragone, em Frascati, em 1912, através de padre jesuíta Giuseppe (Joseph) Strickland (1864-1915). Os Jesuítas precisavam de fundos para restaurar a vila e venderam a Voynich 30 volumes da sua biblioteca, que era formada por volumes do Colégio Romano que tinham sido transportados ao colégio de Mondragone junto com a biblioteca geral dos Jesuítas, para evitar sua expropriação pelo novo Reino de Itália. Entre esses livros estava o misterioso manuscrito.

Com o livro, Voynich encontrou uma carta de Johannes Marcus Marci (1595-1667), reitor da Universidade de Praga e médico real de Rodolfo II da Germânia, com a qual enviava o livro a Roma, ao amigo polígrafo Athanasius Kircher para que o decifrasse.

Na carta, que ostenta no cabeçalho Praga, 19 de agosto de 1665 (ou 1666), Marci declarava ter herdado o manuscrito medieval de um amigo seu (conforme revelaram pesquisas, era um muito conhecido alquimista de nome Georg Baresch), e que seu dono anterior, o Imperador Rodolfo II do Sacro Império Romano, o adquirira por 600 Ducados, cifra muito elevada, acreditando que se tratasse de algo escrito por Roger Bacon.

Voynich afirmou que o livro continha pequenas anotações em Grego antigo e datou o mesmo do século XIII.

Continue Lendo

Cinema

15 Curiosidades do Filme de Terror “It: A Coisa”

O número 27 é muito associado a história. No livro, é mencionado que “It” retorna a Derry a cada 27 anos. O filme foi lançado 27 anos após a minissérie de 1990. Jonathan Brandis, que interpretou o jovem Bill no filme original, morreu aos 27 anos. Este filme foi lançado um mês após Bill Skarsgård (Pennywise) completar 27 anos. Jaeden Martell (Bill), Jeremy Ray Taylor (Ben) e Nicholas Hamilton (Henry) são 27 anos mais jovens que os atores que interpretaram os mesmos personagens na minissérie. A data de estreia foi 8/9/2017 = 27. O segundo estreou em 06/09/2019 = 27.


Pennywise tem apenas quatro minutos de diálogo em todo o filme.

Algumas falas foram improvisadas pelos atores. Grande parte das brincadeiras de Richie / Eddie foi improvisada.


As próteses dentárias que Bill Skarsgård usava quando Pennywise estava pronto para atacar, fazia o ator babar excessivamente. O diretor Andy Muschietti gostou disso, pois a baba complementa à natureza voraz de Pennywise.

O sucesso inesperado do filme causou um interesse em projetos futuros relacionados a Stephen King, após um longo período de projetos fracassados.


Sophia Lillis disse que precisou ficar em cima de uma caixa em algumas cenas, pois, com apenas um metro e meio de altura, ela era a mais baixinha do elenco e precisava aparentar mais maturidade.

Na cena de Ben na biblioteca, uma das fotos do livro de história de Derry é de fato uma foto da Guerra Civil de soldados mortos em Gettysburg. Os ovos de Páscoa em volta dos cadáveres foram adicionados digitalmente.


“IT” arrecadou US $ 123 milhões no fim de semana de estreia na América do Norte, facilmente um recorde para um filme de terror e mais que o dobro do recordista anterior Atividade Paranormal 3 (2011), e também a segunda maior abertura com classificação para maiores de todos os tempos, atrás apenas de Deadpool (2016). Os analistas de bilheteria também estimam que teria ganho 5 a 6% a mais se o furacão Irma não tivesse fechado um número significativo de cinemas na Flórida.


Bill Skarsgård queria ter certeza de que seu desempenho como Pennywise era convincente para o público. Ele afirma que: “Para que este filme seja tão eficaz quanto o livro e a minissérie, tenho que assustar toda uma geração. Minha opinião é que Pennywise funciona de maneira muito simples. Nada de mais passa pela cabeça dele – ele é animalesco e instintivo”.


A parede externa do açougue tem um grande mural comemorando os tiroteios e assassinato da gangue Bradley em 1929. Isso é tirado diretamente do livro e é mencionado por Mike em sua lembrança da violência que aconteceu em Derry. No livro, as pessoas da cidade de Derry emboscam uma gangue de ladrões de bancos que pretendia comprar munição em sua cidade e os massacram em um fogo cruzado.


Bill Skarsgård realmente consegue deixar os olhos virados um para cada lado e sorrir de uma maneira muito estranha, que intrigou o diretor e agora ficou marcado como o sorriso icônico de Pennywise.

“It: A Coisa” é a adaptação de Stephen King para os cinemas com a maior bilheteria até hoje.

Na cena em que Ben está na biblioteca, ele olha pela janela e vê os garotos de bicicleta, podemos ouvir Bill gritar “Hiyo, Silver, AWAY”, que é uma referência direta ao livro.


Jackson Robert Scott (Georgie) foi o mais novo do elenco e afirmou que não estava com tanto medo de Pennywise quanto imaginava. Ele disse que realmente se divertia fazendo suas cenas, e que Bill Skarsgård estava sempre fazendo brincadeiras.


Quando Richie Tozier (Finn Wolfhard) está na “sala dos palhaços”, há um manequim vestido como a versão de Pennywise da minissérie de 1990, interpretado por Tim Curry, sentada no chão (lado esquerdo da tela).

Continue Lendo
Advertisement

Hype do momento