Cola na gente

literatura dark

Quer Sua Obra Lançada pela Darkside Books? Esse Momento Chegou!

Sua chance de ter aquela história que está guardada ou não finalizada, aquele seu projeto brilhante pode ganhar vida na editora Darkside Books, com o 1º Prêmio Machado Darkside de Literatura, Quadrinhos e Outras Narrativas.

Nosso Machado abre caminhos. Uma nova clareira para vozes afiadas, o lugar em que transformaremos sonhos em obras-primas, sementes em histórias. A arte é seiva do céu e das sombras. Novos nomes da literatura, dos quadrinhos e de todas as possibilidades artísticas que brotam das palavras surgem em um momento de transformação. Diante deste novo mundo devemos gritar, devemos criar, riscar antigos ideais e mudar o agora.

Atenção as datas para você conseguir enviar aquele projeto que o mundo precisa conhecer. A inscrição começou no dia 08 DE JULHO e vai até meia-noite do dia 29 DE SETEMBRO de 2020.

Agora atenção para o prêmio que a DarkSide vai premiar os vencedores de cada uma das cinco categorias (ROMANCE/CONTOS, QUADRINHOS, NÃO FICÇÃO, OUTRAS NARRATIVAS E DESENVOLVIMENTO DE PROJETO):  contratos de edição de R$20.000 cada.

Além do contrato, o primeiro colocado em cada uma das cinco categorias receberá um troféu especial.

Os resultados serão divulgados no dia 13 de novembro de 2020. Para saber mais sobre o Prêmio Machado Darkside de Literatura, Quadrinhos e Outras Narrativas acesse aqui. Não perca essa oportunidade!

literatura dark

“Crimes Vitorianos Macabros” Revela as realidades terríveis de crimes reais na era vitoriana

Em Crimes Vitorianos Macabros, os renomados historiadores Kate Clarke, M.W. Oldridge, Neil R.A. Bell e Trevor Bond, revelam as realidades terríveis desse aspecto da vida vitoriana, oferecendo um perfil não apenas dos criminosos e suas vítimas, mas também de policiais, cientistas forenses e outros que mergulharam nas densas sombras do século XIX. Obra de referência única, o livro é uma leitura certa para todos que se interessam por crimes reais, repleta de indicações e recomendações para quem deseja se aprofundar na atmosfera misteriosa e macabra do período.

Poucas coisas evocam mais a Grã-Bretanha da era vitoriana do que seus criminosos. Junto com as ferrovias, os lampiões a gás e a névoa constante, eles são ingredientes vitais em qualquer narrativa que procure retratar o período. A verdade, no entanto, era com frequência mais estranha, emocionante e assustadora do que a ficção.

Crimes notórios — o assassinato de Road Hill, o mistério de Balham e Jack, o Estripador — se somam aos casos esquecidos e negligenciados. A obra apresenta histórias chocantes e aterrorizantes e expõe também os horrores do cotidiano da época, em relatos impressionantes e contundentes. Entre eles, temos o de Amelia Dyer, a “criadora de bebês” que anunciava um lar amoroso a bebês indesejados, mas os matava impiedosamente, e a história de Mary Anne Cotton, que envenenou vários maridos, filhos e outros parentes a fim de obter o dinheiro do seguro de suas mortes. Outro caso notável é o de James “Babbacombe” Lee, condenado por matar seu empregador. Ele sobreviveu a três tentativas de enforcamento e escapou em liberdade. Entre os carrascos do período, destacam-se James Berry (que tentou executar Lee sem sucesso), Thomas Calcraft e William Marwood.

Embora vista hoje como uma época violenta, a era vitoriana registrou poucas tentativas de assassinato de personalidades. Apesar de alguns atentados contra a rainha Vitória durante seu longo reinado, ela nunca chegou sequer a ser ferida. A única vítima realmente ilustre foi Edward Drummond, secretário do primeiro-ministro Robert Peel. O livro também fala sobre Charles Dickens, talvez o maior escritor de ficção policial da época; e sobre o triste episódio da lendária Dorset Street, no East End, apelidada como “a pior rua de Londres” devido à sua história de superlotação, abuso de álcool, prostituição, violência doméstica e assassinatos.

Continue Lendo

 

Agora voce pode ajudar a trilha do medo

Trilha do Medo no Facebook

Podcast

Hype do momento