Cola na gente
Netflix Haunting Of Bly Manor Netflix Haunting Of Bly Manor

curiosidades

Curiosidades Sobre a Série “A Maldição da Mansão Bly”

1) A série “A Maldição da Mansão Bly” é baseada nas obras do escritor Henry James, que originou inúmeras produções cinematográficas e televisivas, principalmente o filme “The Innocents” de 1961, que serviu como grande inspiração para “A Maldição da Mansão Bly”, diversas cenas da série recriam planos cinematográficos bastantes semelhantes aos do filme.

 

2) A personagem principal se chama Dani Clayton, cujo o sobrenome é uma clara homenagem ao cineasta Jack Clayton, diretor de “The Innocents”.

THE HAUNTING OF BLY MANOR (L to R) VICTORIA PEDRETTI as DANI in THE HAUNTING OF BLY MANOR Cr. EIKE SCHROTER/NETFLIX © 2020

 

3) Esta é a 35ª adaptação para cinema / TV baseada no livro “A Volta do Parafuso” (The Turn of the Screw) de Henry James.

 

4) De acordo com o dicionário de Cambridge a expressão The Turn of the Screw (A Volta do Parafuso) significa que:
Uma ação pode tornar uma situação ruim ainda pior, especialmente quando alguém é forçado a fazer algo. Ou uma ocasião em que alguém coloca mais pressão sobre outra pessoa para que ela faça algo.

 

5) A música que Flora fica cantarolando na série se chama “O Willow Waly” de Georges Auric e Paul Dehn, originalmente composta para o filme “The Innocents”.
‘We lay my love and I
beneath a weeping willow,
but now alone I lie
and weep beside the tree.

Singing O Willow Waly by the tree that weeps with me,
singing O Willow Waly ’til my lover returns to me.

We lay my love and I
beneath a weeping willow,
but now alone I lie.
Oh Willow I die,
Oh willow I die’.

 

6) As filmagens terminaram apenas um mês antes das suspensões de produção de muitos programas de televisão devido à pandemia de COVID-19.

 

7) A história de Viola e Perdita é apresentada no conto “The Romance of Certain Old Clothes” escrito por Henry James em fevereiro de 1868 e publicado pela primeira vez no The Atlantic Monthly. James posteriormente fez algumas revisões, incluindo mudanças no nome da família e no de Viola, que passou a se chamar Rosalind, quando publicou a história no Reino Unido em 1885.

 

8) O livro “A volta do parafuso” já teve uma adaptação cinematográfica brasileira lançada em 2016 com o nome ‘Através da Sombra’.

atraves da sombra a volta do parafuso mansão bly brasileiro

A Maldição da Mansão Bly brasileira?

 

9) O quarto no albergue em que Dani fica é o de numero 217. Esta é uma referência ao livro de Stephen King “O Iluminado”. King é um grande fã da primeira temporada da série “A Maldição da Residência Hill” dirigida por Mike Flanagan, ambos são admiradores dos trabalhos um do outro. Flanagan também dirigiu adaptações das obras de King, incluindo “Doutor Sono” e “Jogo Perigoso”.

stephen-king-e-mike-flanagan

 

10) A atriz mirim Amelie Bea Smith, que interpreta Flora na série, dublou Peppa Pig em 13 episódios do desenho animado em 2020.

THE HAUNTING OF BLY MANOR (L to R) AMELIE SMITH as FLORA in THE HAUNTING OF BLY MANOR Cr. EIKE SCHROTER/NETFLIX © 2020

 

11) O ator Henry Thomas interpreta o personagem Henry Wingrave, que curiosamente também tem o mesmo nome do autor Henry James.

THE HAUNTING OF BLY MANOR (L to R) HENRY THOMAS as HENRY WINGRAVE in THE HAUNTING OF BLY MANOR Cr. EIKE SCHROTER/NETFLIX © 2020

12) The Newton Brothers, compositores da trilha sonora da série, também trabalharam ao lado de Mike Flanagan nas trilhas sonoras de “Doutor Sono (2019)”, “Jogo Perigoso (2017), “Ouija: Origem do Mal” (2016), O Sono da Morte (2016), Hush: A Morte Ouve (2016) e O Espelho (2013).

Escute a trilha sonora completa clicando aqui.

curiosidades

Documentário explora efeitos do TERROR na saúde mental

Documentário explora efeitos do TERROR na saúde mental

O documentário Mental Health and Horror (Saúde Mental e Terror) pretende explorar os efeitos causados pelo gênero em pessoas cuja saúde mental foi atingida de forma positiva. Enquanto o terror apavora algumas pessoas, traz conforto para outros.

Mental Health and Horror está sendo descrito como “um documentário de longa-metragem sobre os impactos positivos e liberações catárticas que o terror pode ter sobre aqueles que vivem com doenças mentais”.

Criação e direção de Jonathan Barkan, o documentário “contará com entrevistas de fãs de terror, críticos e historiadores de cinema, cineastas, produtores, escritores e profissionais de saúde mental”.

A produção já está em andamento, no entanto, o projeto será parcialmente financiado pelo Kickstarter a partir de 23 de junho, com estreia mundial planejada para o primeiro trimestre de 2022.

“Quando a ideia desse documentário me veio à mente, ela se recusou a desistir. Há muito tempo luto com doenças mentais e o terror, que sempre amei, sempre esteve presente como meio de apoio ”, afirma Barkan. “Este documentário tem dois objetivos: o primeiro é fazer com que aquela pessoa no meio do nada, que ama o terror mas não tem sistema de apoio nem acesso a recursos de saúde mental, saiba que não está sozinha. O segundo objetivo é lutar ativamente contra estereótipos e estigmas prejudiciais que nossa comunidade enfrenta diariamente. O terror tem sido mal visto no cinema e na sociedade por muito tempo. É hora de mostrarmos como o gênero pode ser poderoso, importante e útil para inúmeras pessoas ao redor do mundo.” disse o diretor Jonathan Barkan em entrevista ao Fangoria.

Mental Health and Horror: A Documentary, para mim, é extremamente importante. Como alguém que já lidou com abusos, maus-tratos, bullying, perdas e sofrimentos; o horror sempre foi uma fuga e um conforto. Cresci em uma família que amava o terror tanto quanto o drama, a comédia e todos os outros gêneros de cinema. O horror era comum e o horror significava segurança com a família e união. Sempre mantive isso comigo em momentos de estresse, ansiedade e depressão; e mais do que tudo, quero ver Mental Health and Horror: A Documentary ajudar a todos que precisam.” falou o produtor executivo Andrew Hawkins.

Acompanhe o progresso do projeto no site mentalhealthhorrordoc.com.

Na produção executiva estão Andrew Hawkins (Insect, In Search of Darkness) e David Lawson Jr. (Spring, The Endless, Synchronic). E Alice Collins (Fountaine and the Vengeful Nun Who Wouldn’t Die), Zena Dixon (co-host do podcast Bloody-Disgusting), e BJ Colangelo (Labrys, Deathcember) como produtores.

Documentário explora efeitos do TERROR na saúde mental

Continue Lendo

Cinema

[TrilhadoMedo PodCast] – Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio

[TrilhadoMedo PodCast] – Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio

No episódio de hoje analisamos o novo filme da franquia de sucesso criada por James Wan, “Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio”, e pra nos ajudar a desenvolver essa crítica coletiva, juntamos uma galera do terror, e será que o pessoal gostou ou não dessa continuação do invocaverso…

@catacumba_31 (Gɑbi Leone e Victor Cutrale)
@olendatv (Daniel Pires)
@horrorizadaspodcast (Isabela Picolo)
@canaldissecando (Maicon Maia)
@portaldohorror (Matheus Romero)
@marcocinematography (Marco Ferreira e Ron Junnior)
@filmesencontrados (Felipe Perez)
@carissinhavieira (Carissa Vieira)

Invocação do Mal 3 – A Ordem do Demônio (The Conjuring: The Devil Made Me Do It)
O filme narra uma história assustadora de terror, assassinato e um desconhecido mal que chocou até os experientes investigadores de atividades paranormais Ed e Lorraine Warren. Um dos casos mais sensacionais de seus arquivos, começa com uma luta pela alma de um garoto, depois os leva para além de tudo o que já haviam visto antes, para marcar a primeira vez na história dos Estados Unidos que um suspeito de assassinato alega ter tido uma possessão demoníaca como defesa.

Direção de Michael Chaves. Estrelando Patrick Wilson, Vera Farmiga, Sterling Jerins, Julian Hilliard, Ruairi O’Connor, Eugenie Bondurant.

Continue Lendo

Cinema

Diretor revela porque demônio original foi cortado de “Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio”

Diretor-revela-porque-demônio-original-foi-cortado-de-Invocação-do-Mal-3-A-Ordem-do-Demônio

Depois dos dois primeiros filmes de “Invocação do Mal” dirigidos por James Wan vinham introduzindo histórias e elementos que acabaram ganhando seus próprios filmes como os spin-offs “Annabelle” e “A Freira”, é curioso que “Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio” não tenha feito o mesmo em se tratando de introduzir uma figura marcante possível para gerar um novo spin-off.

Seguindo essa discussão, o diretor Michael Chaves revelou essa semana em entrevista ao site Slash Film que a ideia inicial era sim de incluir um novo demônio que pudesse potencialmente ter seu próprio filme.

“Na verdade, tínhamos o que pensávamos ser o novo demônio, e isso é algo fiel à história”, explica Chaves. “Tínhamos um demônio que foi totalmente extraído da entrevista e da descrição do pequeno David. Arnie disse que viu a mesma coisa. E parecia que este seria o demônio icônico.”

Chaves continua, “[James Wan] ficou com isso desde o início – James, Maestro dos Monstros. E nós filmamos. Tivemos uma versão/corte do filme com esse demônio”. De acordo com Chaves, o demônio trabalharia com a vilã humana do filme, “The Occultist”, mas o filme ficou complicado demais com dois vilões no centro da trama.

Continue Lendo

Agora voce pode ajudar a trilha do medo

Trilha do Medo no Facebook

As Melhores Trilhas Sonoras de filmes de Terror

Ouça nossa playlist de filmes de terror / séries no Spotify com um montão de trilhas sonoras:

Hype do momento