Cola na gente
Marjorie Estiano em noturnos série de terror canal brasil vinicius de moraes Marjorie Estiano em noturnos série de terror canal brasil vinicius de moraes

Notícias

Série de terror inspirada na obra de Vinicius de Moraes estreia no Canal Brasil

Série nacional de terror “Noturnos”, inspirada na obra de Vinicius de Moraes traz seis episódios dirigidos por cineastas da nova geração que se destacam no gênero. A produção tem criação de Caetano Gotardo, Marco Dutra e Renato Fagundes, com direção geral de Caetano e Marco. No elenco estão Andrea Marquee, Ícaro Silva, Marjorie Estiano, Rafael Losso e Vaneza Oliveira.

“Noturnos”, série original do Canal Brasil, com produção de A Fábrica, vai revelar um lado menos conhecido – mas fascinante – da obra de Vinicius de Moraes. Os episódios adaptam poemas e contos do Poetinha num gênero surpreendente: o terror. A atração estreia na quarta-feira, dia 21, às 22h e, na mesma data, todos os episódios estarão disponíveis nos serviços de streaming Canais Globo e Globoplay.

Marjorie Estiano durante gravação da Série Noturno, pelo Canal Brasil. Photo: Emiliano Capozoli www.emilianocapozoli.com emiliano.capozoli@gmail.com

Com direção geral da dupla Caetano Gotardo & Marco Dutra (de filmes como “Todos os Mortos”, que dirigiram juntos, e “As Boas Maneiras”, que Marco dirigiu com Juliana Rojas e que Caetano montou), a série de seis episódios tem como ponto de partida sete contos e poemas de Vinicius: “Balada do Morto Vivo”, “O Mágico”, “Operário em Construção”, “Conto Carioca”, “Conto Rápido”, “A Grande Voz” e “O Incriado”. O elenco reúne nomes como Andrea Marquee, Thaia Perez, Ícaro Silva, Marjorie Estiano, Rafael Losso, Vaneza Oliveira, Bernardo de Assis, Larissa Siqueira, Rogério Brito, Eduardo Gomes, Edgar Castro, Bruno Bellarmino e Gilda Nomacce.

Presos num teatro por conta de uma sombria tempestade que inundou a cidade, os atores da Noturna Companhia de Teatro trocam, ao longo de uma única noite, experiências e histórias que fazem referência a vários subgêneros dentro do terror, do gore ao fantástico. Os cenários variam: uma casa às margens do Rio Negro, no Amazonas; uma Casa Grande do século 18; o canteiro de obras de um prédio que está prestes a desabar; uma praia… O tom é de terror psicológico, em busca do equilíbrio entre a sofisticação e o apelo popular que marca a obra de Vinicius de Moraes. Neste caso, um Vinicius revelador, inesperado.

Escritos por Marco Dutra, Caetano Gotardo, Gustavo Vinagre e Alice Marcone, os episódios têm diferentes diretores convidados da nova geração do cinema brasileiro, muitos deles ligados ao terror. Fazem parte da lista Gabriela Amaral Almeida, Vinícius Silva, Rodrigo Aragão, Gustavo Vinagre e Aaron Salles Torres, além dos próprios Marco e Caetano.

noturnos nova série de terror canal brasil vinicius de moraes

INFORMAÇÕES DOS EPISÓDIOS:
EPISÓDIO 1 – O Sol das Almas (48min) | A partir do poema “Balada do Morto Vivo”
Direção: Gabriela Amaral Almeida & Marco Dutra
Sinopse: Uma tempestade deixa presos dentro de um teatro os membros da Noturna Companhia durante o ensaio de sua nova peça – o musical “Ana e os Outros”. Entre eles, a diretora Tatiana, a dramaturgista Heloísa e os atores Joana, Antônio, Jorge e Marcus. Para passar o tempo, Marcus sugere que eles contem uns para os outros histórias de terror. Ele mesmo começa, contando a suposta história da avó, Lunalva, e de sua misteriosa relação com um inglês chamado Bill, no Amazonas dos anos 40, durante o ciclo da borracha…

EPISÓDIO 2 – A Pedra que Brilha (39min) | A partir do texto “O Mágico”
Direção: Vinícius Silva
Sinopse: A tempestade segue forte. Agora é Antônio quem conta sua história – na verdade, sua lembrança da encenação da primeira peça de Tatiana, um espetáculo chamado “O Mágico”, que ela mesma preferia ter esquecido. A peça abordava o tema da escravidão nas Minas Gerais do século 18. Mas havia na abordagem algo mais perturbador, algo muito estranho. Ao terminar sua história, Antônio é acuado por Tatiana e resolve ir embora do teatro no meio da tempestade.

EPISÓDIO 3 – Os Ossos do Ofício (44min) | A partir do poema “O Operário em Construção”
Direção: Rodrigo Aragão
Sinopse: Antônio retorna, encharcado, acompanhado por Moema e Lauro, dois estranhos que o salvaram da correnteza violenta. Quando todos estão aquecidos e mais calmos, Heloísa é instigada por Tatiana a narrar algo. Heloísa conta, então, a tenebrosa história de alguns operários trabalhando numa obra subterrânea claustrofóbica, prestes a desmoronar – um pouco como o próprio teatro onde nossos personagens se encontram…

EPISÓDIO 4 – A Mulher na Sombra (44min)| A partir dos textos “Conto Carioca” e “Conto Rápido”
Direção: Aaron Salles Torres
Sinopse: É a vez de “os estranhos” Moema e Lauro contarem uma história. Eles dizem que preferem narrar algo mais animado, leve, algo mais solar. A história deles se passa numa praia. É uma história de sedução que começa um tanto tranquila, mas que logo revela seu lado doentio.

EPISÓDIO 5 – O Filho Perfeito (43min) | A partir do poema “A Grande Voz”
Direção: Gustavo Vinagre
Sinopse: Em choque com a história dos estranhos, Jorge resolve narrar um conto que ele jura ser a história de sua própria família – em especial a de seu pai e de seu irmão. É uma história de fanatismo, sacrifício e morte. Mas é também um olhar alegórico sobre sua transexualidade. Ao fim de sua história, a energia elétrica do teatro cai. Todos ficam na escuridão. A tempestade está mais forte do que nunca.

EPISÓDIO 6 – O Feixe de Contradições (50min) |A partir do poema “O Incriado”
Direção: Caetano Gotardo & Marco Dutra
Sinopse: É a vez de Joana, a protagonista da peça que está sendo ensaiada, narrar sua história. Mas ela está nervosa com o que pode estar acontecendo com sua filha do lado de fora do teatro, na cidade. Os celulares começam a morrer um por um. Joana delira. Caminha pelo teatro, que agora é um espaço de pesadelo, já invadido pela água. Ela encontra, um a um, seus colegas de cena. Mas eles não parecem mais ser os mesmos.

Marjorie Estiano durante gravação da Série Noturno, pelo Canal Brasil. Photo: Emiliano Capozoli www.emilianocapozoli.com emiliano.capozoli@gmail.com

Marjorie Estiano durante gravação da Série Noturno, pelo Canal Brasil. Photo: Emiliano Capozoli www.emilianocapozoli.com emiliano.capozoli@gmail.com

Fotografias da série Noturnos, Canal Brasil. São Paulo, 2019 Photo: Emiliano Capozoli www.emilianocapozoli.com emiliano.capozoli@gmail.com

Fotografias da série Noturnos, Canal Brasil. São Paulo, 2019 Photo: Emiliano Capozoli www.emilianocapozoli.com emiliano.capozoli@gmail.com

Cinema

Trailer e pôster do remake de Castle Freak – Herança Maldita

castle freak remake

Anunciado como um filme que contará com um “Universo Expandido de Lovecraft”, envolvendo alguns elementos do primeiro filme, enquanto introduz muitos novos personagens. O remake é produzido por Barbara Crampton (Ainda Estamos Aqui), protagonista do original de 1995.

“Depois de ficar permanentemente cega em um trágico acidente de carro, Rebecca recebe uma notícia bizarra: sua mãe há muito tempo sumida faleceu recentemente, deixando o castelo ancestral de sua família. Viajando para a propriedade com um grupo de amigos, Rebecca espera que seja uma oportunidade para ela se reconectar com um passado que ela nunca conheceu – e uma mãe que aparentemente a deixou para trás. Quando acontecimentos misteriosos começam a ocorrer e seus amigos começam a morrer, Rebecca é forçada a desvendar a misteriosa história de sua família antes que ela também seja vítima de Castle Freak.”

Dirigido pelo especialista em efeitos especiais Tate Steinsiek e roteiro escrito pela produtora Kathy Charles. Com Emily Sweet, Jake Horowitz (A Vastidão da Noite) e Kika Magalhães (Os Olhos da Minha Mãe) no elenco.

Castle Freak tem previsão de estreia para 4 de dezembro nos EUA. No Brasil ainda não tem data confirmada.

“Herança Maldita” é um filme de terror de 1995 baseado no conto The Outsider de H.P. Lovecraft, dirigido por Stuart Gordon, lançado diretamente para home-vídeo em 14 de novembro de 1995 nos EUA.

castle freak remake

Continue Lendo

Cinema

Filme de “Five Nights at Freddy’s” começa a ser filmado em 2021

five nights at freddy's filme

O criador de “Five Nights at Freddy’s” Scott Cawthon esclareceu os diversos problemas que a produção sofreu durante o processo de escrita do roteiro e desenvolvimento cinematográfico dos jogos, com muitas adaptações da história para que se tornasse uma versão descente para o cinema.

Há alguns dias o produtor Jason Blum da Blumhouse comentou em que pé estava tudo isso, clique aqui para ler.

Então vamos lá, como está indo a adaptação de “FNAF“? O próprio criador Scott Cawthon atualizou a história em seu Reddit contando sobre o exaustivo trabalho em encontrar um roteiro para o filme e completou dizendo que as filmagens começam na primavera (entre março e junho) de 2021.

“Todos os personagens certos, todas as motivações certas, todas as apostas certas”, disse Cawthon sobre o roteiro escolhido e completou “[esse tem] as melhores partes de todos os roteiros anteriores”. “É divertido, é assustador e tem uma ótima história central!”

Como foram muitos roteiros Cawthon descreveu uma breve sinopse com as ideias e os motivos para descartar cada um deles, veja abaixo:

Roteiro “F”

Configuração: Grupo de adolescentes problemáticos invade o Freddy’s; caos segue

Problemas: embora seja uma configuração bastante básica, havia muitas escolhas estranhas aqui, que só ficavam mais estranhas à medida que a história continuava. A história terminou com nossos protagonistas em uma fábrica animatrônica subterrânea secreta que estava projetando robôs para o governo.

Veredicto: WTF! Muito longe do material de origem! Jogado fora.

—-

Roteiro de “Plushies Take Manhattan”

Configuração: Plushies tomam Manhattan.

Problemas: Plushies (pelúcias) ocupam Manhattan

Veredicto: Queimado no fogo.

—-

Roteiro de “Random Charlie”

Configuração: Charlie e amigos entram sorrateiramente no Freddy’s durante a madrugada para recuperar um brinquedo perdido.

Problemas: embora compartilhem nomes de personagens familiares da série, esses personagens não têm nada a ver com seus jogos e livros. Portanto, embora apresentasse elementos familiares dos jogos, parecia “vagamente baseado” no jogo e perdeu muito do seu impacto por causa disso.

Veredicto: Parecia um saco de elementos aleatórios de FNAF sem apostas reais. Meh.

—-

O(s) roteiro(s) de “Olhos de Prata”

Configuração básica: Kira e eu trabalhamos em três versões de um roteiro de Olhos de Prata ao longo de cerca de um ano, tentando encontrar a abordagem certa para a história do primeiro livro.

Problemas: essas foram as primeiras tentativas que fiz para escrever um roteiro depois de perceber que seria difícil encontrar alguém que entendesse a tradição bem o suficiente para fazê-lo. Infelizmente, também significou que esses roteiros sofreram muito com a minha inexperiência em escrever. Mesmo Kira, com sua experiência em escrita, não conseguiu salvá-los.

Veredicto: Embora estes tivessem alguns elementos bons, no final decidi me concentrar em fazer um roteiro dos jogos e não dos livros.

—-

Roteiro da “Loja de penhores”

Configuração básica: Uma criança que vigia uma loja de penhores encontra problemas quando um animatrônico é trazido. Acontece que Freddy ‘s foi roubado, e os animatrônicos foram levados para diferentes locais para venda. Os outros animatrônicos vêm para recuperar o que está na Loja de Penhores, e o garoto e seus amigos se envolvem na aventura.

Problemas: Uma abordagem criativa, mas parecia um pouco como “um menino e seu animatrônico”. Muita aventura depois da escola, sem terror suficiente.

Veredicto: Pareceu uma boa ideia na época.

—-

Roteiro de “Cassidy”

Configuração básica: Mergulhando fundo, este roteiro repleto de muita tradição, seguindo a história de Cassidy.

Problemas: estendendo-se por vários períodos de tempo, seguindo vários personagens e apresentando a tradição de vários jogos, isso era bastante saturado, saturado demais. Pode ter sido satisfatório para a maioria dos fãs hardcore, mas teria deixado a maioria das pessoas confusas e perdidas. (Ei, espere, talvez este tenha sido o roteiro mais preciso …)

Veredicto: No final das contas, mais uma enciclopédia visual do que um filme, isso simplesmente não era satisfatório, mesmo para mim. Fora.

—-

Roteiro de “Misfit Kid”

Configuração básica: Mãe solteira traz seu filho para uma nova cidade; criança encontra Freddy; hilaridade segue.

Problemas: Um dos problemas em criar uma história moderna com um antigo cenário de Freddy é encontrar uma maneira de conectar os protagonistas ao restaurante, encontrando uma razão para eles estarem lá e encontrando uma razão para eles ficarem. O problema aqui era que o motivo para esse garoto ir para a casa de Freddy e ter desventuras era muito artificial e forçado.

Veredicto: Não é uma configuração ruim, mas simplesmente não funcionou. Se eu não me importo com os personagens, então há uma boa chance de ninguém mais se importar. Próximo.

(Este seria o roteiro por um tempo porque não tinha nenhuma falha séria. No final das contas, acabei decidindo que não era bom o suficiente).

—-

Roteiro de “Ghost Trackers”

Configuração básica: Um grupo de rastreadores de fantasmas amadores entra sorrateiramente no Freddy’s abandonado.

Problemas: Embora seja uma configuração de bom senso para esse tipo de filme, o problema surgiu novamente sobre como dar a esses personagens uma conexão com o próprio Freddy. O que acabou acontecendo foi que muito da história foi para seus próprios bastidores e suas próprias dificuldades, e isso tirou os holofotes da história de Freddy.

Veredicto: Uma conexão mais forte entre o protagonista e Freddy era necessária. Lição aprendida.

—-

Roteiro “Insano”

Configuração básica: outra variação do rastreador de fantasmas, esta envolvia o Funtime Animatronics, túneis subterrâneos de poço de bolas e uma marionete em busca de vingança!

Problemas: como alguns outros roteiros se aventuraram longe demais na aventura, este foi longe demais para a ação.

Veredicto: Muito em todo lugar, com muitos personagens fazendo muitas coisas.

—-

Roteiro de “Mike”

Configuração básica: Hmmmm. Isso faz sentido. Por que não pensei nisso antes?

Problemas: Na verdade, esta é uma boa mistura … tem as melhores peças de todos os roteiros anteriores … Não há realmente nenhum problema aqui. Todos os personagens certos, todas as motivações certas, todas as apostas certas …

Veredicto: Sim, vamos com este. É divertido, assustador e tem uma ótima história central!

—-

Oh certo, então para as más notícias. A má notícia é que não haverá mais nenhum roteiro para adicionar a esta lista, já que estamos oficialmente fazendo o roteiro de “Mike”.

 

Dá pra ver que Scott Cawthon está exigente com o resultado do filme, esperamos que esse roteiro finalmente escolhido seja uma boa história.

 

Continue Lendo

Trilha do Medo no Facebook

As Melhores Trilhas Sonoras de filmes de Terror

Ouça nossa playlist de filmes de terror / séries no Spotify com um montão de trilhas sonoras:

Hype do momento