Cola na gente
five nights at freddy's filme five nights at freddy's filme

Cinema

Filme de “Five Nights at Freddy’s” começa a ser filmado em 2021

O criador de “Five Nights at Freddy’s” Scott Cawthon esclareceu os diversos problemas que a produção sofreu durante o processo de escrita do roteiro e desenvolvimento cinematográfico dos jogos, com muitas adaptações da história para que se tornasse uma versão descente para o cinema.

Há alguns dias o produtor Jason Blum da Blumhouse comentou em que pé estava tudo isso, clique aqui para ler.

Então vamos lá, como está indo a adaptação de “FNAF“? O próprio criador Scott Cawthon atualizou a história em seu Reddit contando sobre o exaustivo trabalho em encontrar um roteiro para o filme e completou dizendo que as filmagens começam na primavera (entre março e junho) de 2021.

“Todos os personagens certos, todas as motivações certas, todas as apostas certas”, disse Cawthon sobre o roteiro escolhido e completou “[esse tem] as melhores partes de todos os roteiros anteriores”. “É divertido, é assustador e tem uma ótima história central!”

Como foram muitos roteiros Cawthon descreveu uma breve sinopse com as ideias e os motivos para descartar cada um deles, veja abaixo:

Roteiro “F”

Configuração: Grupo de adolescentes problemáticos invade o Freddy’s; caos segue

Problemas: embora seja uma configuração bastante básica, havia muitas escolhas estranhas aqui, que só ficavam mais estranhas à medida que a história continuava. A história terminou com nossos protagonistas em uma fábrica animatrônica subterrânea secreta que estava projetando robôs para o governo.

Veredicto: WTF! Muito longe do material de origem! Jogado fora.

—-

Roteiro de “Plushies Take Manhattan”

Configuração: Plushies tomam Manhattan.

Problemas: Plushies (pelúcias) ocupam Manhattan

Veredicto: Queimado no fogo.

—-

Roteiro de “Random Charlie”

Configuração: Charlie e amigos entram sorrateiramente no Freddy’s durante a madrugada para recuperar um brinquedo perdido.

Problemas: embora compartilhem nomes de personagens familiares da série, esses personagens não têm nada a ver com seus jogos e livros. Portanto, embora apresentasse elementos familiares dos jogos, parecia “vagamente baseado” no jogo e perdeu muito do seu impacto por causa disso.

Veredicto: Parecia um saco de elementos aleatórios de FNAF sem apostas reais. Meh.

—-

O(s) roteiro(s) de “Olhos de Prata”

Configuração básica: Kira e eu trabalhamos em três versões de um roteiro de Olhos de Prata ao longo de cerca de um ano, tentando encontrar a abordagem certa para a história do primeiro livro.

Problemas: essas foram as primeiras tentativas que fiz para escrever um roteiro depois de perceber que seria difícil encontrar alguém que entendesse a tradição bem o suficiente para fazê-lo. Infelizmente, também significou que esses roteiros sofreram muito com a minha inexperiência em escrever. Mesmo Kira, com sua experiência em escrita, não conseguiu salvá-los.

Veredicto: Embora estes tivessem alguns elementos bons, no final decidi me concentrar em fazer um roteiro dos jogos e não dos livros.

—-

Roteiro da “Loja de penhores”

Configuração básica: Uma criança que vigia uma loja de penhores encontra problemas quando um animatrônico é trazido. Acontece que Freddy ‘s foi roubado, e os animatrônicos foram levados para diferentes locais para venda. Os outros animatrônicos vêm para recuperar o que está na Loja de Penhores, e o garoto e seus amigos se envolvem na aventura.

Problemas: Uma abordagem criativa, mas parecia um pouco como “um menino e seu animatrônico”. Muita aventura depois da escola, sem terror suficiente.

Veredicto: Pareceu uma boa ideia na época.

—-

Roteiro de “Cassidy”

Configuração básica: Mergulhando fundo, este roteiro repleto de muita tradição, seguindo a história de Cassidy.

Problemas: estendendo-se por vários períodos de tempo, seguindo vários personagens e apresentando a tradição de vários jogos, isso era bastante saturado, saturado demais. Pode ter sido satisfatório para a maioria dos fãs hardcore, mas teria deixado a maioria das pessoas confusas e perdidas. (Ei, espere, talvez este tenha sido o roteiro mais preciso …)

Veredicto: No final das contas, mais uma enciclopédia visual do que um filme, isso simplesmente não era satisfatório, mesmo para mim. Fora.

—-

Roteiro de “Misfit Kid”

Configuração básica: Mãe solteira traz seu filho para uma nova cidade; criança encontra Freddy; hilaridade segue.

Problemas: Um dos problemas em criar uma história moderna com um antigo cenário de Freddy é encontrar uma maneira de conectar os protagonistas ao restaurante, encontrando uma razão para eles estarem lá e encontrando uma razão para eles ficarem. O problema aqui era que o motivo para esse garoto ir para a casa de Freddy e ter desventuras era muito artificial e forçado.

Veredicto: Não é uma configuração ruim, mas simplesmente não funcionou. Se eu não me importo com os personagens, então há uma boa chance de ninguém mais se importar. Próximo.

(Este seria o roteiro por um tempo porque não tinha nenhuma falha séria. No final das contas, acabei decidindo que não era bom o suficiente).

—-

Roteiro de “Ghost Trackers”

Configuração básica: Um grupo de rastreadores de fantasmas amadores entra sorrateiramente no Freddy’s abandonado.

Problemas: Embora seja uma configuração de bom senso para esse tipo de filme, o problema surgiu novamente sobre como dar a esses personagens uma conexão com o próprio Freddy. O que acabou acontecendo foi que muito da história foi para seus próprios bastidores e suas próprias dificuldades, e isso tirou os holofotes da história de Freddy.

Veredicto: Uma conexão mais forte entre o protagonista e Freddy era necessária. Lição aprendida.

—-

Roteiro “Insano”

Configuração básica: outra variação do rastreador de fantasmas, esta envolvia o Funtime Animatronics, túneis subterrâneos de poço de bolas e uma marionete em busca de vingança!

Problemas: como alguns outros roteiros se aventuraram longe demais na aventura, este foi longe demais para a ação.

Veredicto: Muito em todo lugar, com muitos personagens fazendo muitas coisas.

—-

Roteiro de “Mike”

Configuração básica: Hmmmm. Isso faz sentido. Por que não pensei nisso antes?

Problemas: Na verdade, esta é uma boa mistura … tem as melhores peças de todos os roteiros anteriores … Não há realmente nenhum problema aqui. Todos os personagens certos, todas as motivações certas, todas as apostas certas …

Veredicto: Sim, vamos com este. É divertido, assustador e tem uma ótima história central!

—-

Oh certo, então para as más notícias. A má notícia é que não haverá mais nenhum roteiro para adicionar a esta lista, já que estamos oficialmente fazendo o roteiro de “Mike”.

 

Dá pra ver que Scott Cawthon está exigente com o resultado do filme, esperamos que esse roteiro finalmente escolhido seja uma boa história.

 

Cinema

Amigo imaginário assustador aterroriza família em “Amizade Maldita” | Trailer Dublado

Kevin (Sean Rogerson) e Beth (Keegan Connor Tracy) notam que seu filho de oito anos, Josh (Jett Klyne), tem passado bastante tempo brincando com um novo amigo imaginário, chamado Z. O que a princípio parece uma relação inofensiva, rapidamente se transforma em algo destrutivo e perigoso. É quando Beth começa a desvendar o seu próprio passado, que ela descobre que Z pode não estar apenas na imaginação do filho.

Direção de Brandon Christensen que também escreveu o roteiro com Colin Minihan.

Amizade Maldita estreia em 3 de Dezembro nos Cinemas

Continue Lendo

Cinema

Criador de ‘Luke Cage’ e Jay-Z produzem thriller “Forty Acres” para Netflix

O thriller “Forty Acres” está sendo adaptado em longa-metragem para a Netflix com produção do rapper, empresário e produtor Jay-Z, e roteiro escrito por Cheo Hodari Coker, criador da série “Luke Cage”, de acordo com o site Deadline.

“Forty Acres” é um romance do escritor Dwayne Alexander Smith publicado em 2014, que instiga reflexões em como pensamos sobre a escravidão e seu legado nos dias atuais.

Sobre o livro:
“Martin Gray, um advogado negro inteligente e talentoso que trabalha em uma loja no Queens, faz amizade com um grupo de alguns dos homens negros mais poderosos, ricos e estimados da América do Norte. Ele fica deslumbrado com o que eles conquistaram e parecem pensar que ele tem potencial para ser tão bem-sucedido quanto eles. Então eles o convidam para um fim de semana longe de tudo – sem esposas, sem telefones celulares, sem falar de negócios. Mas longe de casa e isolado de todos que ama, ele descobre um segredo perturbador que desafia algumas de suas convicções mais profundas…

Martin descobre que seus novos amigos brilhantes fazem parte de uma sociedade secreta dedicada à preservação da instituição da escravidão – mas, desta vez, os homens negros são chamados de “Mestre”. Juntar-se a eles parece garantir um futuro sem limites; repreendê-los quase certamente garante sua morte. Preso em um mundo imaginário perfeito que abriga uma realidade assustadora, Martin deve encontrar uma saída que lhe permitirá permanecer vivo sem se tornar a mesma coisa que ele odeia.”

Além de Jay-Z, o filme também é produzido por James Lassiter, Aaron Kaplan da Kapital Entertainment com Niles Kirchner e Bill Strauss.

Continue Lendo

Trilha do Medo no Facebook

As Melhores Trilhas Sonoras de filmes de Terror

Ouça nossa playlist de filmes de terror / séries no Spotify com um montão de trilhas sonoras:

Hype do momento