O polêmico diretor de “Irreversível” e “Love 3D” está de volta com mais um filme que promete abalar a emoção dos espectadores. “Climax” fez parte da Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes 2018, de onde saiu vencedor do prêmio de Melhor Filme (CICAE Art Cinema Award), e de inúmeras críticas positivas, que consideram o novo trabalho de Gaspar Noe o mais maduro e bem realizado de sua filmografia.

Baseado em acontecimentos reais, o longa acompanha um grupo de jovens dançarinos reunidos em uma remota escola vazia para a última noite de ensaio antes da estreia do espetáculo. Em comemoração, eles decidem fazer uma festa que se transforma em um pesadelo alucinante, quando os dançarinos descobrem que alguém misturou um potente LSD na sangria que estão bebendo. Da euforia ao caos, paixões, desejos, rivalidades e violência explodem em meio a um colapso psicodélico coletivo se transformando em armas para uma verdadeira tragédia.

Estrelado por Sofia Boutella, francesa que fez parte do elenco de grandes sucessos como “Kingsman: Serviço Secreto (2014)” e “A Múmia (2017)”, o filme mescla atores, dançarinos, e jovens entre 18 e 23 anos que participam de campeonatos de dança krump, apresentando sequencias exuberantes, coreografadas em perfeita sincronia não só com o elenco, mas também com a câmera, que ganha vida nas mãos do do próprio Gaspar Noe, e do diretor de fotográfica Benoît Debie, que além de já ter trabalhado com Noe em seus filmes anteriores e em longas como “Spring Breakers: Garotas Perigosas” e “The Runaways: Garotas do Rock”, também é diretor de fotografia nos videoclipes “The Carters: Apeshit” de Beyoncé e Jay Z, rodado no museu do Louvre, e “Bitch Better Have My Money” de Rihanna.

“Climax” foi concebido de forma muito rápida. Filmado em apenas 15 dias, a produção de A a Z aconteceu em mais ou menos 4 meses.

O resultado foi surpreendente, incluindo a aceitação dos críticos. Em uma entrevista, o diretor confessa que esperava receber de 90 a 95% das críticas negativas, mas o que aconteceu foi exatamente ao contrário. Repleto de críticas positivas, o filme também é sucesso em festivais de cinema, e também levou o prêmio de Melhor Filme no Festival de Cinema de Sitges, voltado para o cinema fantástico.

O filme estreia no Brasil dia 31 de janeiro. E o diretor Gaspar Noe virá para coletivas em São Paulo e Rio de Janeiro.