Cola na gente
Medicina Macabra Medicina Macabra

livro

Medicina Macabra reúne casos arrepiantes, bizarros e curiosos da história da medicina

Ainda que superstições e tradições folclóricas tenham influenciado a Medicina por um bom tempo, o passado também revela a existência de médicos capazes de encontrar soluções e aplicar tratamentos bem sofisticados. A Medicina mudou dramaticamente, passou por uma transformação que fez de sua arte uma ciência.

Enquanto pesquisava para escrever seu primeiro livro, o escritor Thomas Morris fez uma descoberta um tanto quanto… curiosa: entre dissertações cheias de linguagem técnica e textos desafiadoramente longos, pérolas divertidas e grotescas sobre casos bizarros estavam escondidas. Muitos destes relatos eram bons demais para serem esquecidos na literatura médica, e ele decidiu fazer uma seleção irresistivelmente peculiar.

Da Holanda do século XVII até a Rússia czarista, da zona rural do Canadá até um baleeiro no Pacífico, Medicina Macabra é uma reunião de casos insólitos da história da Medicina que ocorreram em um período de trezentos anos. Alguns desses relatos são angustiantes ou comoventes, outros são macabros, mas todos oferecem algo mais além do que uma boa anedota. Por mais constrangedoras que sejam as enfermidades, por mais estranhos que sejam os tratamentos, todos esses casos expressam algo sobre as crenças e a sabedoria de uma época.

Uma família inteira sofrendo de dores e que decidiu amputar as pernas para acabar com o sofrimento. Uma paciente com ataques histéricos que recitava Goethe e Shakespeare. Qual foi a última vez que um de seus dentes explodiu? E quando você comeu uma alface fresca e dois dias depois lesmas saíram pela sua boca? Medicina Macabra traz relatórios de casos verídicos, escritos por médicos que relataram aquilo que viram e fizeram, obtidos a partir de livros, panfletos, cartas e bilhetes.

Remédios irremediáveis, curas extraordinárias, cirurgias que tinham tudo para dar errado, casos insólitos e lamentáveis embaraços: está tudo aqui. Medicina Macabra é feito sob medida para os darksiders de estômago forte, narrado com aquela injeção de humor que não poderia faltar. Você está pronto para dissecar essas excentricidades do passado? Você é uma pessoa macabra?

curiosidades

Para os Amante das Obras de Anne Rice – ‘Love Kills’

Procurando uma nova Graphic Novel com muita ação e uma trama envolvente? Aqui está o que você precisa…

LOVE KILLS é a investigação de Danilo Beyruth sobre o mito dos vampiros. Com um enredo em que os leitores reconhecem pitadas do universo de Anne Rice, do jogo de RPG Vampiro: A Máscara, e de filmes como Nosferatu (1922), de Murnau, e Drácula de Bram Stoker (1992), de Coppola, o artista apresenta uma grande história em quadrinhos repleta de aventura e terror, com o traço preciso do autor de Samurai Shirô.

O sentimento e a forma como esses seres vampíricos se orientam no mundo em LOVE KILLS, destinados à imortalidade, trazem reflexões sobre a própria vida mortal do leitor. Entretanto, as cenas de ação e combate, e a narrativa cuidadosa de Danilo Beyruth não são colocadas de lado.

Compre ‘Love Kills’ aqui.

Continue Lendo

curiosidades

The Dark Man: O Homem que Habita a Escuridão (Darkside Books)

A Darkside Books lançou um livro magnífico com um poema do mestre Stephen King. Vem ver os detalhes deste projeto gráfico:

The Dark Man: O Homem que Habita a Escuridão é um poema narrativo do mestre do terror — com um toque quase biográfico e premonitório para os leitores mais atentos — sobre um andarilho que habita as sombras da estrada, do mesmo modo que essas sombras o habitam. Acompanham os versos de King as ilustrações detalhistas de Glenn Chadbourne, hachuras que criam contornos e revelam expressões, lembranças e seres que espreitam na escuridão e aguardam em silêncio o momento para o bote perfeito, a hora de revelar sua verdadeira natureza.

A publicação é uma parceria com a editora norte-americana Cemetery Dance, criada por Richard Chizmar, ele também autor da DarkSide® Books. “Randall Flagg surgiu quando escrevi um poema chamado ‘The Dark Man’, ainda na faculdade. Surgiu para mim do nada, esse cara de botas de caubói pelas estradas, quase sempre pedindo carona à noite, sempre de jaqueta e calça jeans surrados. Escrevi o poema no refeitório da faculdade, no verso de um jogo de mesa, e ele nunca saiu da minha cabeça”, afirma King sobre a origem do personagem.

Nesta edição especial e exclusiva da DarkSide® Books, em capa dura e projeto gráfico inédito, aprovado especialmente pelo autor, vamos conhecer um pouco mais sobre o personagem que se tornaria recorrente e fundamental na obra do mestre do terror. Um pouco dele e de todos nós.

Compre aqui o livro aqui.

Continue Lendo

livro

Vitorianas Macabras expõe mulheres ilustres que contribuíram fortemente à literatura

A voz feminina na era vitoriana em treze contos de gelar a espinha, por Charlotte Brontë, Charlotte Riddell, Edith Nesbit e outras autoras sinistras

A Era Vitoriana foi um marco na história da Inglaterra e também no mundo. De um lado, o conservadorismo, a repressão e a subserviência. De outro, as transformações científicas, sociais e tecnológicas. Muito se fala sobre os homens que fizeram história naquela época, mas as mulheres também estavam travando suas próprias batalhas, desafiando convenções em nome da independência e da autonomia.

Para enaltecer as mulheres ilustres que prestaram uma contribuição formidável à literatura — e reparar a injustiça histórica que por séculos reverenciou apenas os homens —, a DarkSide® Books e a Macabra Filmes apresentam a antologia Vitorianas Macabras. Organizada em parceria com Marcia Heloisa — doutora em Literatura Comparada na Universidade Federal Fluminense (UFF), também responsável pela tradução e já conhecida pelos darksiders por seu exímio trabalho com Bram Stoker e Edgar Allan Poe, na linha Medo Clássico —, a antologia apresenta treze histórias escritas por autoras que, assim como nós, foram cativadas pelo medo e por tudo aquilo que é sobrenatural.

Verdadeiramente assustadoras, as histórias desta antologia foram ecoadas em contos e romances publicados nos séculos seguintes, uma proeza e influência que apenas as tramas mais poderosas poderiam conseguir. Aqui, o medo se manifesta de diversas maneiras, todas elas terríveis, impressionantes… e difíceis de esquecer. Não vamos contar todos os segredos, mas aqui vai um gostinho do que está por vir: “A Prece”, de Violet Hunt, é uma espécie de avô de Cemitério Maldito; o perturbador “Onde o Fogo Não se Apaga”, de May Sinclair, reproduz a tensão dos slashers com a profundidade do terror psicológico; “O Conto da Velha Ama”, de Elizabeth Gaskell, e “O Mistério do Elevador”, de Louisa Baldwin, apresentam fantasmas memoráveis; já em “A Janela da Biblioteca”, Margaret Oliphant traz um ensaio melancólico sobre o fantasma da solidão.

“A voz dessas autoras é única, suas vidas são o verdadeiro assombro diante da grandeza de suas obras até então esquecidas”, afirma Christiano Menezes, diretor editorial da DarkSide®. “Há muito tempo eu não era tocada por textos tão poderosos”, completa Marcia Heloisa.

Vitorianas Macabras reúne ainda histórias de Charlotte Brontë, H.D. Everett, Vernon Lee, Rhoda Broughton, Charlotte Riddell, Edith Nesbit, Amelia B. Edwards e Mary Braddon. Essas mulheres, além de serem figuras ilustres do protagonismo feminino, tinham em comum, é claro, o amor pela literatura: passaram a vida escrevendo, transformaram as palavras em seu ofício e tocaram inúmeros leitores com seus escritos. Agora, chegou a sua vez.

Continue Lendo
Advertisement

Hype do momento